Anunciantes ameaçam usuários do Firefox com “avalanche” de anúncios

ecommerce__22

Segundo a indústria de publicidade, se a Mozilla continuar com o plano de bloqueio de cookies de terceiros, usuários sofrerão com maior quantidade de anúncios em vez de apenas os direcionados

A indústria de anúncios online tem atacado a Mozilla por conta da decisão da empresa de bloquear os cookies de terceiros em uma futura versão do Firefox. A iniciativa foi chamada de “perigosa e altamente preocupante”, e anunciantes afirmaram que isso resultará em um maior número de anúncios exibidos aos usuários.

A reação feroz veio do Escritório de Publicidade Interativa (Interactive Advertising Bureau – IAB) e da Associação Nacional dos Anunciantes (Association of National Advertisers – ANA), que estabeleceram suas posições em posts feitos na quinta-feira, 14 de março.

Dan Jaffe, vice-presidente de relações governamentais da ANA, negou que era uma campanha coordenada, embora tanto a ANA quanto a IAB criticaram a Mozilla no mesmo dia e usaram muitos dos mesmos argumentos. “A resposta é ‘não’ [isso não foi coordenado]. Mas toda a indústria de publicidade online está preocupada com esta decisão irrefletida”, disse Jaffe em entrevista. “Isso é prejudicial para o interesse do consumidor e irá prejudicar a Internet.”

Em seus blogs, os dois grupos criticaram a Mozilla, prevendo consequências desastrosas, incluindo o fechamento de pequenas empresas e sites de pequeno porte, menos opções para os usuários online e mais anúncios no Firefox.

“Se a Mozilla seguir com o plano, essa interrupção irá privar cada usuário de Internet”, disseRandall Rothenberg, presidente e CEO do IAB, no blog da organização. “Todos iremos perder a liberdade de escolher as nossas próprias experiências online, perderemos a oportunidade de monitorar e proteger a nossa privacidade, e perderemos a oportunidade de se beneficiar de sites independentes, porque milhares de pequenas empresas que compõem a diversidade de conteúdo e serviços online serão obrigados a fechar as portas.”

Justin Brookman, diretor de privacidade do consumidor do Centro para Democracia e Tecnologia (CDT), um grupo de advocacia de Washington DC debochou de alguns dos argumentos de Rothenberg. “Essa ideia de que bloquear cookies é privar os usuários de escolha é ridícula”, disse Brookman. “Eles falam sobre as pequenas editoras, mas são as pequenas redes de anúncios que eles representam. [Mesmo assim], não está claro o quanto pequenos sites dependem da publicidade comportamental.”

Apesar de o Firefox não ser o navegador mais utilizado do mundo, o browser representou entre 20,1% e 21,4% dos navegadores usados no mês passado em desktops e notebooks.

Oposição

O que levantou o debate do IAB e da ANA foi a decisão da Mozilla no mês passado de bloquear automaticamente todos os cookies de rastreamento de terceiros em uma futura versão do Firefox – talvez já em junho, com o lançamento da versão 22 do browser.

Os cookies são usados ​​por anunciantes online para rastrear os movimentos dos usuários na Web e, em seguida, entregar anúncios direcionados – uma prática chamada de “publicidade online comportamental”, ou OBA (Online Behavior Advertising, em inglês), pela indústria de anúncios.

A nova política do Firefox permitirá que cookies apresentados por domínios que os usuários realmente visitam – chamados de “primários”, mas bloqueará automaticamente aqueles gerados por um domínio de terceiros – a menos que o usuário já tenha visitado o site de origem desse cookie.

O resultado, argumentou Jaffe, não será o que as pessoas esperam. “Os fatos são que os usuários do Firefox verão mais anúncios, não menos, e eles não serão adaptados aos seus interesses”, disse ele. “Eles verão anúncios comuns, que vão parecer como spam. Temos que levar essa informação a eles de alguma forma.”

A Mozilla ainda não definiu uma versão do Firefox para o bloqueio de cookies de terceiros, mas poderia ser liberado para uma versão mais tarde, ou nunca ser lançado. “Como acontece com todos os nossos novos recursos do Firefox, haverá meses para avaliar as informações técnicas de nossos usuários e da comunidade antes da nova política entrar no Aurora Beta e outras versões do Firefox”, disse Brendan Eich, CTO da Mozilla, por e-mail.

fonte: Idg Now

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s